There was an error in this gadget

11/26/2008

Das coisas irritantes que a vida nos traz

Certas coisas parecem que só acontecem comigo.Tá. até podem acontecer com outras pessoas, mas a frequencia maior é COMIGO.
Que eu gosto de música não é segredo pra ninguém. Tenho trocentos CDs que gosto. Mas hoje em dia, é tão mais prático e útil ter um MP3. Então passo algumas das minhas músicas favoritas pro meu MP3. É realmente útil, evita que as pessoas puxem assunto com você no ônibus ou na fila do banco. Infelizmente nem sempre. Tem gente que desliga o desconfiômetro e vai embora. Se você está ouvindo musicas num mp3 é porque você não tem intenção de conversar com alguém. mas de repente:
No ponto de ônibus, num dia em que eu saí meia hora mais tarde do trabalho,
LEGENDA
EU - cor azul
ela - cor de barulho de avião

- O 2102 pára aqui?
- ... [Marisa Monte - Ainda Lembro - Volume 30]
- Moça...
- anh? [tiro o fone pra ser educada e atendo a chata]
- O 2102 pára aqui?
- [olho para cima, para a placa na qual estou apoiada e onde tem os numeros dos ônibus que param neste ponto] hum... sim.
- ah obrigada.
- por nada. [recoloco o fone]

- tá quente esses dias né?
- ... [Lenine - Hoje eu quero sair só - volume 30]
- Moça...
- aaanh?? [tiro o fone traveiz - ligeiramente me emputecendo]
- ah, cê tava ouvindo música ne?
- [sorrindo um sorrisinho de 10 centavos] tô... [começo a recolocar o fone]
- eu comentei do calor...
- quê?
- o calor...
- ah... eh... calor.
- mas vai chover logo, logo.
- aham... olha o 2102 lá! [oba! ela entra no busão. eu continuo ouvindo musiquinhas, o meu ônibus passa logo depois e tchaaau]
- não. eu não vou pegar ele não.
- ah... [porra!!! pra quê que me perguntou se ele passava aqui então???]
- tomara que o meu não demore ne?
- NÉ!

Eis que avisto o 8106. Vivas e mais vivas!! quase livre.
- er... tchau dona.
- tchau.

Entro no ônibus com aquela sensação de alívio. Nada como um lotação pra ninguém conversar com ninguém enquanto todo mundo faz cara de nada. Acho um cantnho espremido lá atrás, perto da porta.

- Cê gosta de música né?
- anh?!?! [aaaaaah @&%#$%@*& Nao tinha dado tchau??? se ia pegar o mesmo ônibus, pq deu tchau???]
- PERGUNTEI [sim. ela quase gritou isso] se cê gosta de música.
- adoro. gosto mais de ouvir música do que de conversar. [principalmente com estranhos]
- aah, não. eu gosto mais de conversar.
- ... [oooh, eu nunca imaginaria]

Percebi que não ia ser fácil sair dessa. Recoloquei discretamente o fone [Evanescence - Call me when you're sober - Volume 25] e fiquei vendo - só vendo - ela falar. Percebi que ela contava caso e de vez em qdo ria. Nestes momentos, eu sorria. até que percebi, por leitura labial que ela perguntava 'hein?'

- hein?
- ... [fui obrigada a abaixar o volume]
- moça, cê tá me ouvindo?
- er...acho q perdi a ultima parte. me distraí.

O dia ficou repentinamente cinza, ela cresceu uns 10 centímetros, os olhos ficaram meio avermelhados e [eu tenho certeeeêza que] eu ouvi um trovão. Quando a voz estridente dela fez a Amy sussurar, murmurar e depois se calar [é que, no medo, eu estava ainda pressionando o controle de volume] algumas pessoas voltaram a atenção para a situação. De fato, um garoto até deixou a mochila cair - creio que ele estava pensando em aliviar peso no caso de precisar fugir correndo dali.

- ISSO É MUITA FALTA DE EDUCAÇÃO SABIA??? VI QUE VC TAVA SOZINHA, TO AQUI TE FAZENDO COMPANHIA, EU NEM PRECISAVA TER PEGO ESSE ONIBUS, O OUTRO ME SERVIA. MAS PENSEI: TADINHA, VAI SOZINHA ATÉ A CASA DELA, TÁ COM UMA CARINHA CANSADA, DEVE TER TRABALHADO O DIA TODO, VOU PUXAR CONVERSA. E CÊ NEM PRA PRESTAR ATENÇÃO NO QUE EU TO TE FALANDO E...
- E EU PEDI PRA SENHORA CONVERSAR COMIGO POR ACASO?? AS UNICAS VOZES QUE ME INTERESSAVA OUVIR MORAM ATUALMENTE DEEENTRO DESTE APARELHINHO AQUI Ó!! TO MESMO BEEEM CANSADA DE TRABALHAR O DIA TODO! ENTÃO CALA A BOCA E ME DEIXA SEGUIR VIAGEM SOSSEGADA! SE POSSÍVEL, DESCE NO PROXIMO PONTO, SUA VACAAAAAAA!!!!!
Não. mentira. eu não falei isso não. só pensei. rsrs
Bem, ignorem esta ultima parte do diálogo. Isso... esta que não existiu. Voltemos à gritaria da vaca. oops, ao discurso da senhora em questão.

- ISSO É MUITA FALTA DE EDUCAÇÃO SABIA??? VI QUE VC TAVA SOZINHA, TO AQUI TE FAZENDO COMPANHIA, EU NEM PRECISAVA TER PEGO ESSE ONIBUS, O OUTRO ME SERVIA. MAS PENSEI: TADINHA, VAI SOZINHA ATÉ A CASA DELA, TÁ COM UMA CARINHA CANSADA, DEVE TER TRABALHADO O DIA TODO, VOU PUXAR CONVERSA. E CÊ NEM PRA PRESTAR ATENÇÃO NO QUE EU TO TE FALANDO E...
- er...desculpe, o que a senhora tinha me perguntado mesmo? [respondi com o único fio de voz que se atreveu a sair da minha garganta]
- ah... tinha perguntado se você viu na novela ontem que a Flora... blá bla blá ... pererê ... caixinha de fósforo ...

quÊ!?!??! quÊ?!?!?! - a véia me deu um puta esporro só pq queria me contar da porcaria da novela?!?!? tá louca??! aaaah sou obrigada a parafrasear o Seu Lili, 'prefiro ter um filho viaaado do que um filho véia'.
Olhei em volta, algumas pessoas já tinham voltado ao seu estado de NADA, o garoto pegou a mochila do chão e tava segurando um risinho.
O ônibus parou num ponto, algumas pessoas se espremeram pra fora dele e eu me contive [MUITO] pra não jogar a desgramada da dona maria também. E eu meio que me concentrava, para o caso dela me perguntar alguma coisa de novo.
Ela ja tinha dito algo sobre Zé Bob, depois elevador, medo de elevador - aah só lembro essas palavras-chave.
Cara. não tenho nada contra novela. até gosto. assisto e tal... mas puta que la mierda! e eu lá queria saber se a Duca [ou Tuca, ou Nuca, alguma coisa assim] tava escondendo sei la quem , sei la onde e sei la porque numa hora daquelas??

- Tsc. Ô, que pena. Eu desço no próximo, outra hora a gente continua essa conversa.
- aham. [resmunguei, no auge do resto da minha boa educação, contendo a felicidade provinda daquela despedida]
O garoto da mochila soltou o riso que há tanto ele prendia equanto me lançava um olhar meio compadecido, meio cúmplice.
- Tchau viu?
- Tchau dona, vai com Deus. [em palavras menos delicadas, VAZA BARANGA!!!]

E agora eu já estava quase chegando em casa. Dei o play. a pilha descarregou. mas nem faz mal. Fiquei ali por mais 5 minutnhos, com minha cara de NADA, ouvindo o doce som do silêncio, somado aos pequenos ruídos urbanos.

Ainda bem que eu peguei o ônibus mais tarde nesse dia, né? Pois algo me diz que a véia chata vai me procurar mais ou menos àquele horário no ponto de ônibus, todo dia.

5 comments:

felipera(RebentaMininu) said...

caraiu... eu nao tenho toda essa paciencia nao... ja tinha mandado dar meia hora de cu no 3° discurso e pronto!

felipera(RebentaMininu) said...

e se nao gostar, como dizem aqui:

-SONO CAZZI TUAAAAAAA!!! HAI CAPITO SCEMA DI MERDA!?

teka said...

kkkkkkkkkkkkk juuuuaaaaaaaaa rrrraaaaaaaaiiii aiii
ah nao! se fosse eu soltaria umas boas gargalhadas, bem daquelas q vc conhece (igual a q estou dando AGORA), ai a tia Maria ia ficar com vergonha e saia de perto de mim... kkkkkkkkkkk

JA DISSE Q ADORO SEUS TEXTOS... acho q vou lançar um livro com eles
bjo...

gilgomex said...

me lembro da última vez que ouvi um MP3 no ônibus...
http://colunadolorida.blogspot.com/2008/06/ao-ladrozinho-viadinho-de-clevelndia.html

mas tudo bem... nos atenhamos a seu caso... eu teria xingado. minha paciência não é das maiores e eu realmente não ligo se as pessoas falam comigo, mas odeio quando alguém acha que eu tenho obrigação de ouvíla.
mas ok... a vida continua... torçamos para o Cruzeiro, pelo menos segurar a vaga na Libertadores.
e lembre-se:
O mosquito não perdoa ninguém. Pobres, ricos e marromenos.
heuheuheuheuhee
fim da picada... ops, começo.

Cris said...

Amo o jeito que tu escreve! Parece que decora as falas pra depois colocar no blog!! haha muito show! Coitada de você... mas isso acontece com todos, não só contigo... Só depende da localidade, sei lá, às vezes tem lugares que as pessoas são mais frias ou não, né... Vai por cada um! Ah, tomara que não encontre uma dessas de novo! hahaha, beijocas,
Cris.