There was an error in this gadget

6/21/2008

Umobu Gaifei di Tao...

Vou começar este post pedindo aos (raros) leitores que concordem comigo no seguinte: Tá que eu não sou uma beldade tipo Miss Brasil beleza internacional nem nada, mas tem gente que é de rapar com enxada!!!
.
Vamos à boate?! Claro que vamos, esse não é um convite que eu esteja apta a recusar, A MENOS QUE você me diga: vai ter uma banda de PAGODINHO. O.o' affeeee... Isso muda o 'naipe' do público da boate.
Desde que meus queridos Caião e Janião tocam na Club quase todo findi, eu frequento aquela boate [tenho meus outros motivos, mas sem querer ser (muito) grossa, isso nem é da sua conta xP]. O público dali geralmente é um pessoalzinho bonito, bem vestido, 'pegável'... qualquer coisa entre merecedores de happy hour e filhinhos de papai. Conheço os barmen. Não estou dizendo que eu sei o nome deles e pronto, isso não é conhecer. Eu os conheço de antes deles trabalharem ali, pelo menos metade deles (leia-se Roberta, Drezão, Marlon - e mais recentemente Flávio e Bruno). O segurança da porta pergunta meu nome por educaçao, pois antes de eu responder, ele ja esta escrevendo o 'V' do 'Carvalho'.
Ontem, quando eu comecei a me arrumar, mentira, antes de eu começar a me arrumar, antes de entrar pro banho, ouvindo meus Cds, ingressei numa depressão que não tem medidas nem explicaçoes. Desatei a chorar, quando estou assim, o melhor é não sair. Mas contrariando o óbvio (tá mal?! fica em casa), fui assim mesmo. Maju já não ia, 300 risadas a menos, mas ok. Tati vai, Tortim também e Bruno também.
Eu só descobri que ia tocar uma banda de PAGODINHO quando já estava lá. Senão eu JURO que tinha ficado em casa chorando ouvindo Dinho ou Cajú, e dependendo do grau de deprê rolava Janis.
Mas enfim, eu raramente tenho a oportunidade (??) de ver TANTA GENTE FEIA POR METRO QUADRADO, me lembrou dos tempos que eu cursava Letras no Campus 1 da UNIVALE. Olhei pra Tati. Tati olhou pra mim. respirei (não muito fundo, fiquei com medo da feiúra estar no ar e ser contagiosa). e soltei: CARAAAAAAIOOO. ABRIRAM AS PORTAS DO INFERNO! SÃO OS ESPECTROS DE HADES! Se bem que os espectros de Hades são bunitinhos, raramente acho personagens de mangá feios, só os hollows de bleach - pq são mal feitos - mas isso nao vem ao caso. O fato é que tinha no mínimo 30 demônios ao meu redor. Levei a mão à medalha de Nossa Senhora das Graças que só sai do meu pescoço pra eu tomar banho, segurei a Tati pelo braço para ela não ser engolida pelas forças estranhas do ambiente, rezei uma Salve Rainha e a oração de São Bento (exorcismo) e percebi que uns 15 deles se afastaram ligeiramente, mas o medo era muito, minha fé fraquejou e eles voltaram. Acordei do devaneio, com a voz distante da Tati dizendo: Cara. nao tem ninguém que eu conheça aqui, e eu falei: Nem eu. - e neste momento, me desmentindo, um cara que frequenta o Rivieras me cumprimentou. Sempre achei ele feio, mas no meio daquele povo com cara de morro [sem
preconceitos, juro. é só uma expressão] até a 'não-beleza' dele se escondeu.
Mas tudo bem, eu moro ali não é mesmo? Calma Perci, vá até o balcão e peça uma Coca-Cola. Fui. Cadêêê meeeus barmeeen???? Um monte de desconhecidos do lado de lá do balcão. Quase enfarteeei. Só fiquei um pouco mais calma quando vi Janião, Dan e Beta. Ufa... já estava com medo de ter morrido e estar numa dimensão paralela e me descobrir fadada a procurar o portal de volta para casa pelo resto da minha sobrevida (sim. isso é um referência a Caverna do Dragão).
Caião e Vieira começaram a tocar, e o povo horroroso lá, com cara de paisagem (e que paisagem CREDO-EM-CRUZ viu?!) nem curtindo nem nada. E eu queriiiia curtiiiir, juro que queria, amo o repertório deles, mas eu nao tava a vontade, passavam uns carinhas com umas caras de 'to te vendo sem essa roupa' cara. MEDO!! e tem outra coisa. uma coisa que me deixou emputecida logo em seguida, passaram a mãoi na minha bundaaaa (urgh grrr odiooo) tanto meninos quanto meninas (aliás, tem umas duas delas que merecem depois um post só para elas. Vacas.) Dae comecei a apelar. O Bruno tentou me ajudar, trocou de lugar comigo, pois as pessoas estavam passando logo atrás de mim, a proveitando pra 'se passar' em mim. aaargh. Cara. não to aumentando nisso. Tati viu!! Teve uma hora que estávamos convrsando com o Dan, DEI UM PULO de susto o cara encheu a mão e foi embora com aquela cara de paisagem (leia-se: pântano). Mas minha tranquilidade nao durou muito, pois a Béta tava logo atrás de mim e, sem saber da situação cretina na qual eu estava, PEGOU NA MINHA BUNDINHAAAAAAAAAA. Quando eu falo bundinha, eu REALMENTE quero dizer bundinha. Cara. Não sou uma tábua, mas também não sou a mulher melancia. Entao, na hora que eu gritei INFEEEERNO! QUE ÓDIO DESSE LUGAR! acho que elevei um pouco meu Chi, porque pararam de abusar da minha pessoa.
Começou a rolar musica eletrônica no segundo ambiente, Tati e Tortim se assanharam pra ir la dançar, Bruno ficou na dele, pq é assim que ele fica quando está sóbrio. E isso foi bem na hora que o Janião foi lá cantar com o Caião, ou seja, EU NAO QUERIA IIIR, queria ficar ali e
tietar. afinal, estava esvaziando por causa do segundo ambiente e eu já até conseguia sambar um pouquinho (eles tavam tocando Jorge Ben). Começaram: Papai me empreste o carro, papai me empreste o carro, to precisando dele pralevar minha garota ao cinema, papai não crio
problema...
e EU NÃO CONSIGO RESISTIR A RITA LEE.
Saíram caminhando em direção à boate e eu fui atrás (medo de ficar sozinhaaa) chegamos no lugar do tuntz tuntz, eu tinha começado a me deixar levar pela musiquinha, mas meus amigos resolveram adentrar à multidão. Ooow. Com aquela luzes e aqueles efeitos psicodélicos, o povo que antes era feio virou o RASCUNHO DO MAPA DO INFERNO (MUITOO MEDOO) voltei sozinha pro primeiro ambiente, pedi uma Vodka e um Sprite ao Bruno (YES. havia um barman conhecido). Séculos depois meus amiguinhos voltam da boate e me encontram sentadinha virada pro balcão curtindo a minha vodka. Tiramos umas fotinhas (nós na boate e nenhuma foto é quase impossível) Bruno e Tortim voltaram para o PAGODINHO, Tati e eu rimos um pouquinho de umas coisas (aheiuahueihai) e depois. BORA PRA CASA! ufa...
.
.
.
Chegamos em casa, deitamos e ficamos batendo papo, até aquele momento inevitável que eu faço uma pergunta e nao recebo resposta.
.
-Cê não acha, Tati?
-...
-Tati?
-...
-Véi, cê dormiu?
-...
-É, dormiu.
.
-...
-...
.
.
.
O jeito era dormir também. Hoje de manhã, quando eu saí pra vir trabalhar, ela ainda tava lá, ormindo, deixei pãozinho francês e pãezinhos de queijo na mesa...e a lata de nescau também. Porque ninguém merece tomar do meu café.
Tá, depois desse desabafo gigante, acho que superei tanta feiúra. E quando eu for pra Club semana que vem, vou levar na bolsa uma poção preparada pelo tio, uma lagartixa ou um peixe boi...e até lá vou ensaiando...UMOBU GAIFEI DI TAO... UMOBU GAIFEI DI TAO...

2 comments:

MJ said...

Isso tudo foi pq faltou Maju srsrs

Felipera said...

que merda heim...

erros no post:
1° - A Perci é gata
2° - A Perci é gata
3° - A Perci nao é feia