There was an error in this gadget

7/03/2006

culpa

A culpa disso ser do jeito que é è minha só,
de mais ninguém
Te acomodei, deixei pra lá
Sorri
E te deixei achar
Que você podia ir
Que podia voltar
Quando quisesse
E eu estaria aqui
À disposição
Pra colher cada lágrima
Que ela fez cair
Te consolar, e depois
Dormir abraçada a um amor
(que nem meu era)
A culpa disso ser assim
É minha só, que não previ
Que ela um dia quereria
Te ver só sorrir

Você voltou mais uma vez
Pegou o que era seu
Deu-me um beijo na testa
E saiu por aquela porta

1 comment:

Mariana Freire Cabral said...

Digo o mesmo q eu disse na postagem do "metro e meio"... dá mole não huahia


PS: perfeita... a cara... énsando nele, né?
muito massa!