There was an error in this gadget

9/19/2007

Devaneios na ponta do lápis

Houve quem me encorajasse a tentar desenhar meus devaneios ("duvido que vc nao saiba segurar u lápis", né Ágatha?!)... acontece que eu ja devaneiava com lápis de cores nesses tempos, e esse daí já tava até pendurado na parede do quarto....


Se um dia nos encontrarmos, você me disser que não me viu nem de longe depois que partiu e me perguntar: Você chorou por mim?
Minha resposta vai ser: Não.
Chorei por mim.
Pois eu tinha a certeza de que você estaria bem.
Mas eu, no meu egoísmo e na minha imperfeição que faria sem meu anjo da guarda?
Derramei UMA lágrima.
Uma lágrima contínua, constante, não se partia em duas, pois não parava de rolar
Mesmo que o rosto estivesse seco
A alma chorava incessante
Se perdia em devaneios,
Se colocava em seu lugar,
Se rasgava de saudades,
Morria aos poucos em vã esperança...
Como chorava a minha alma!
Pensei que nunca fosse parar...
Como doía aquela dor!
Pensei que nunca fosse passar...
.
Mas agora que estamos aqui, não sinto isso tudo mais.
Sinto paz.
.
p-Sabe o que nunca imaginei?
Que no céu houvesse carros, trânsito, esta mesma avenida...
f-E o melhor sabe o que é?
p-diz.
f-o tempo aqui não obedece ao relógio.
p-hmm, nesse caso, dá liceeença, deixa eu colocar os pés aqui e nós temos muuuito assunto pra por em dia né?
f-né
...



.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
ai ai... devaneio é devaneio...

No comments: