There was an error in this gadget

3/17/2007

Medo de ser clichê

A toa de papo pro ar
Numa mesinha de bar
E ele chega.
Em câmera lenta,
A bateria da Mocidade Independente de Padre Miguel tocando acelerada dentro do meu coração, no compasso mais descompassado que já tive notícia.

Primeiro, o cuidado de fingir que não fui a primeira da mesa a vê-lo
Aí(*) alguém diz: 'ih! olha o Zé[nome hipotético] ali'
Aí eu finjo estar ligeiramente desinteressada em olhar pra direção dele.
Aí eu finjo que o assunto que estou conversando com 'seiláquem' é bem mais importante do que realmente é
Aí eu finjo que esse oi e beijinho na bochecha foi "Só" um oi e beijinho na bochecha
Aí, sabe-se lá o porquê, ele senta bem do meu ladinho
Aí eu fico me segurando pra não dar bandeira demais, pra não dar pála demais
Aí, 'seiláquem' vê um conhecido e se levanta pra cumprimentá-lo e eu fico sem ter um 'pára-choque' pra evitar uma conversa com ele.
Aí não tem jeito, começa um assunto.

E que medo que eu tenho do assunto cair em "NÓS"
Apesar de "NÓS" só existir na minha cabeça

Só que ele sabe que quando eu olho pra ele não vejo só um par de olhos verdes sorridentes encantadores(**)
E eu imagino que ele olhe pra mim imaginando o que é que possa estar imaginando sobre nós
E eu quero falar um monte de coisas
Mas tenho medo de falar o que quero e, sem querer, acabar com o que eu acho que nem tem chance de começar
E eu continuo querendo falar um monte de coisas
Me vem aquele medo de ser clichê
De usar e abusar das frases feitas
E acabar parecendo que não fui eu quem falou
Foi algum personagem de algum filme
Foi alguma letra de musica


Ainda bem que o filtro entre o cérebro e a boca tá funcionando direitinho
Melhor que falar o que pensa, é continuar só pensando.
Melhor que fazer o que quer, é continuar só querendo.
Melhor que fechar os olhos e te dar um beijo, é manter os olhos bem abertos pra te detalhar na memória

Ou seria o contrário?!

E o pior do pior de tudo é pensar que você se sente assim também, mas não por mim.

Sei que me arrisco demais às vezes
Mas talvez um pedido valha o risco de ser atendida.
Ignorando esse medo do clichê por alguns segundos...

Te peço um pouquinho de amor.


É só o que eu peço
Um espaço pra mim nesse sentimento seu
Uma chance de conhecer o que é enfim esse tal de amor
Clichê ou não. A vontade de cada um é essa:

Dar amor e recebê-lo de volta na mesma proporção.

******************************************************
Para evitar interpretações: este texo não é necessariamente sobre ninguém.
è só um texto
(*) mineiro fala 'aí' demais da conta quando conta um caso
(**)olhos verdes sorridentes encantadores - nick de um amigo meu no msn.

No comments: