There was an error in this gadget

6/21/2007

.poemas aos amigos-amores-platônicos.

Quando eu morrer saiba que eu te amei.
Se eu não disse antes, desculpe.
É que não era cabia nas frases que dizíamos.
Quando eu morrer saiba que sorri ao lembrar-me de ti.
Várias vezes, feito boba, andando rua afora.
Quando eu morrer saiba que chorei por você.
Quando eu morrer, vá ao meu velório, despeça-se, toque em minha mão.
Se tiver vontade, chore, se não tiver, não precisa.
Quando eu morrer saiba que escrevi poemas pensando em você.
Saiba que eu senti ciúmes de você.
Saiba que eu quis estar muito mais perto do que realmente estive.
Quando eu morrer, não fique triste por não termos sido mais que amigos (e duvido que ficará)
Saiba que os beijos que não demos, eu os sonhei...
Infinitas vezes.
Quando eu morrer saiba que eu te amei.
Se eu não disse antes, desculpe.
É que não era cabia nas frases que dizíamos.
É que tinha gente por perto e, ou era segredo meu, ou era segredo nosso.

______________________________________________________
Inspiração em baixa. Mas não quero abandonar o Blog por mto tempo.
Fávu, Te amo
Yuri, te amo
Mari, te amo
Mua, te amo
MariR., te amo
Juka, te amo
Vcs encabeçam a lista dos amigos que eu amo mais no mundo.
______________________________________________________
"Não me deixe só, eu tenho medo do escuro, eu tenho medo do inseguro, dos fantasmas, da minha voz"

1 comment:

Mariana Freire Cabral said...

Vou te dizer o que eu sempre digo quando diz que me ama: Bem feito!

Já disse que me amar é um castigo...

Assim como "eu" amar alguém tmbm é.

beijos...
Não vou ao seu velório, e nem segurarei a sua mão quando vc morrer. Pq não estarei lá.